Rastafari

 

Os Rastafáris levam uma vida simples, em sintonia com a natureza, respeitando o corpo como ele é e se alimentando do que é natural. Maíra Lemos visitou um coletivo para conhecer um pouco mais desta filosofia.

rasta13.png

Eles são do bem. Bastou uma visita para ver e sentir isso. O coletivo Rastafari, Rootsativa, de Belo Horizonte, fica na divisa com o Parque das Mangabeiras, no topo da montanha. O terreno é íngreme. Para chegar lá, tem que fazer força. São muitas ladeiras e degraus. Mas eles nos recebem com um copo de água gelada, de portas e corações abertos. 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A vista é maravilhosa e faz valer a caminhada. O clima é fresco e o visual verde. A sensação é de estarmos na Amazônia...

 

É tanta planta ao redor que o ar fica úmido. Respeitar a natureza e tirar dela a sua alimentação, o mais natural possível,  é um dos preceitos da filosofia dos rastafáris.

 

A galera do coletivo faz exatamente isso. Plantam de tudo, para o próprio consumo e também para fazerem produtos, que vendem em feiras. Pastéis, granolas, doces, sanduíches. Tudo vegano e vegetariano. 

 

Eles também contribuem com a comunidade local aonde vivem. Dão aulas e oficinas para as crianças e recolhem o lixo orgânico dos vizinhos, com o qual fazem compostagem e produzem adubos.  

 

Rastafari é amor próprio. É manter o corpo como ele veio ao mundo, sem fazer uso de navalha, de tinturas. É ter orgulho de ser quem se é. 

 

No fim de tarde, eles tocam e cantam, para agradecer pelo dia de trabalho e saudar o belíssimo por do sol.

 

Saiba mais sobre os rastas e acompanhe esta visita inspiradora, no vídeo abaixo: