Salve a Lagoinha

 

A Lagoinha, um dos bairros de grande importância na história de Belo Horizonte está descuidado.

Fomos até lá conversar com alguns moradores que querem salvar esse patrimônio e a boemia.

8 CC Lagoinha finalizando Copy 01.00_09_46_12.Still032.png

Há mais de 120 anos, quando Belo Horizonte estava sendo construída, boa parte dos operários que trabalhavam nas obras da capital moravam na Lagoinha. Era um bairro cheio de vida, cheio de gente, de comércio e famoso pela boemia. A Lagoinha era também muito maior do que é hoje. Começava lá no centro da cidade. Naquela época, a avenida Afonso Pena emendava com a rua Itapecerica. 

 

Mas, com o crescimento de Belo Horizonte e a construção de viadutos, da rodoviária, do complexo viário e da linha do trem, a Lagoinha ficou isolada do centro da cidade. O bairro foi "picoteado" e o pouco que restou está descuidado.

As praças que antes eram ponto de encontros das famílias que moravam ali, agora estão desertas. Os comércios são cada vez mais raros. E de noite, a região é conhecida como cracolândia de Beagá.

Passeando pela principal rua do bairro, a Itapecerica, dá pra ver o descaso com construções históricas, casarões belíssimos abandonados.

Mas, alguns moradores, apaixonados pelo bairro, querem salvar esse patrimônio e retomar a boemia no local. O Felipe, do coletivo "Viva Lagoinha" foi nosso guia neste passeio. Visitamos o antiquário da Gigi, o topa tudo do Tião , a mercearia do João da Banana e uma vila, onde mora a Shayene.

Um passeio no presente e no passado, para refletir e agir! Você confere no vídeo abaixo. Salve a lagoinha! #vivalagoinha