De onde é que vem a quitanda?

Minas Gerais faz o melhor pão de queijo do mundo! Em Paracatu, o modo de fazer essa delícia é patrimônio imaterial. Visitamos alguns quintais da cidade, que é conhecida como terra das quitandas.

Ep. Paracatu_ALTERACAO 1.00_14_25_09.Still026.jpg

Dizem que para chegar a Paracatú, basta seguir o aroma do pão de queijo... A cidade, que tem o modo de fazer esta delícia como patrimônio imaterial, é também conhecida como terra das quitandas. 

Quitanda é tudo aquilo que está na mesa na hora do lanche, mas não é sobremesa. Biscoitos, bolos, tortas, tudo aquilo que os mineiros adoram encher a mesa com a família reunida na hora do café da tarde.

Em maio de 2017 o governo do Estado lançou o +Gastronomia. Um projeto para conectar toda a cadeia produtiva da gastronomia de Minas Gerais.  Mais produtos estão sendo certificados e vendidos fora do Brasil. É mais emprego e renda no Estado. Eu topei o convite de viajar por Minas Gerais para descobrir ‘De onde é que vem’ essa qualidade gastronômica toda! A cada 15 dias, um episódio inédito. E este é o quarto, sobre as quitandas... 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

Visitamos algumas das quitandeiras mais prendadas da região. Todas moram em casas de quintais gigantes e mesas compridas. 

A mais antiga é dona Lazi, 92 anos de idade. Começou a cozinhar aos 9 anos, com a ajuda de um banquinho de madeira para alcançar o fogão. Ela nos mostrou as receitas da avó dela, escritas à mão, em um caderno antigo. E preparou o "mané-pelado", conhecido também como "manuê", uma torta assada com cobertura de abacaxi.

Conhecemos também a Zilá, especialista no "bolo de domingo", uma delícia, em porções individuais, servidas apenas nos dias de domingo, quando as quitandeiras descansam e se dão o prazer de degustar essa delícia!

Em todas as receitas, estão dentre os ingredientes: banha de porco e ovo caipira, com a gema bem amarelinha.

E foi a Ângela quem preparou pra gente o tão famoso pão de queijo. Realmente é delicioso! E para ela o segredo é não escaldar a massa e usar um forno bem quente. Em 20 minutinhos, ficou prontinho! De sobremesa, ela preparou uma desmamada, uma espécie de bolo com textura de pudim.

 Muitos turistas vem de longe para passar uma tarde agradável, em meio às plantas e bichos dos quintais, degustando as mais diversas quitandas. 

Todas as quitandeiras tem mais de um forno para dar conta da produção.

O maior forno é o da Maria do pão de queijo. Tem mais de 2 metros de altura e é famoso por espalhar o cheirinho de quitandas pelos quarteirões do bairro. Ela é uma quitandeira famosa na cidade por ter criado os 15 filhos que teve com a fabricação de pães de queijo. Hoje, quem cozinha são os filhos dela.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além dos sabores, Paracatú também tem belas construções. A cidade tem mais de 200 anos e é patrimônio histórico nacional.

A caminhada pelas ruas de pedra é agradável e nos surpreende. Chafariz, vilas, casarões. E tudo florido. Os jardins dos moradores são muito bem cuidados, uma espécie de cartão de visitas de cada casa. 

Localizada no noroeste mineiro, Paracatu fica mais perto de Brasília–DF (a 240 km) do que da capital mineira, Belo Horizonte (a 503 km). Por isso, algumas construções são visivelmente influenciadas pelo estilo modernista da capital federal. 

 

Vale muito o passeio! Quer ver?

Está tudo aí, deliciosamente, no vídeo abaixo!

 

#compredomineiro