O que tem no Barreiro?

 

O Barreiro é mais antigo que Belo Horizonte e ajudou na construção da nossa capital. Os 300 mil moradores dessa região industrializada têm um respiro, no Cristo Redentor, e debaixo de um viaduto, onde, acreditem: tem arte!!

IMG-7596.JPG
 

Eu achei a maior viagem caminhar neste chão estilo calçadão de Copacabana! E descobri que não precisamos ir até o Rio de Janeiro para tirar self com o Cristo Redentor! Na grande BH, na região do Barreiro, tem tudo isso (em versão reduzida, é claro) e vale o passeio! O Cristo do Barreiro foi construído em 1956, em homenagem ao centenário da região, que hoje tem 162 anos.

Isso mesmo!  O Barreiro é mais antigo que Belo Horizonte e ajudou na construção da capital. Era de uma fazenda da região que saía a água que abastecia as obras de BH.

A gente costuma dizer que o Barreiro é uma região da grande Beagá, né? Mas aquilo ali está mais para uma cidade, gente! 300 mil pessoas vivem ali. Tem vida própria, sabe? 

Chegamos cedinho para a gravação e passeamos pelas principais avenidas. Primeira impressão: que lugar barulhento e agitado! Fiquei chocada com a quantidade de carros, caminhões, ônibus e pessoas circulando por ali. Tem um barulho forte, industrial e o ar é pesado. Mas é revigorante conversar com os moradores dali. Que receptividade! Ninguém que abordamos se negou a dar uma entrevista! Maravilhoso! E conversando com aquelas pessoas, descobrimos um povo que tem orgulho de ser barreirense! Que se gaba ao dizer que não precisa ir ao centro de BH para nada porque ali, no comércio do Barreiro, encontram tudo o que precisam.

 

E em meio a todo este caos, tem arte em um espaço inusitado. Este viaduto ao lado é o Eugênio Andrade Pinto. Antiga cracolândia, ele foi todo revitalizado e transformado em uma galeria de arte profissional, de ficar de queixo caído! O Viaduto das artes tem mil metros quadrados bem estruturados com muito bom gosto. Um trem de outro mundo! Tem que ir!! E abstrair o ruído forte dos veículos que passam fazendo o teto tremer, o que acaba dando personalidade à experiência. O projeto, que leva exposições para uma região que era carente de arte, dá também oportunidade para os moradores dali exibirem seus trabalhos.